Dicas da Salu

Escolher a cabine ideal para se hospedar ao longo de uma viagem de cruzeiro exige pesquisa e alguns cuidados. Isso porque você provavelmente não irá querer ser acordado com barulhos, incomodar-se com fumaça de cigarro ou reservar um quarto com varanda e ser surpreendido com um bote bem no seu campo de visão, interrompendo toda a vista para o mar.

Neste post chamamos atenção para oito localizações que você deve evitar ao escolher a cabine em uma viagem de cruzeiro. É claro que os navios mais modernos já são projetados com uma maior preocupação em relação ao isolamento acústico e à localização das cabines, deixando-as distante de espaços de movimentação noturna, como teatros, cassinos e boates. Mas ainda há o risco de o elevador ser barulhento, de ser acordado com o estrondo da âncora sendo jogada ao mar quando se chega a um novo destino e mais: de enjoar ao passar tantas horas em alto mar.

Para não passar perrengue e se estressar nos seus dias de férias, confira nossas dicas para garantir uma melhor escolha de cabine em sua viagem de cruzeiro!

Cabines perto da proa

As cabines mais próximas à proa (parte da frente) são aquelas em que se sente de forma mais intensa a movimentação do navio, sobretudo quando a embarcação não é tão grande e o mar, mais agitado. A instabilidade da navegação em alto mar pode levar os hóspedes mais sensíveis a sofrerem com tontura e enjoos. Se você fizer parte deste grupo, melhor buscar um quarto em outro canto da embarcação.

Vale lembrar, no entanto, que este não costuma ser um grande problema nos meganavios (como os da Costa Cruzeiros, MSC Cruzeiros, Royal Caribbean e Carnival). Portanto, se o quase imperceptível balanço não for um empecilho para você, há também vantagens de se hospedar próximo à proa: as cabines com varanda nos andares mais elevados têm algumas das melhores vistas para o mar.

Cabines próximas à proa são menos estáveis, principalmente em navios menores e mares mais agitados

Perto do elevador e escadarias

Assim como nos hotéis, nos navios também é comum que haja mais movimentação e barulho nas proximidades das escadarias e elevadores. O burburinho das conversas na espera do elevador e até o próprio som do subir e descer podem ser incômodos em navios sem isolamento acústico nos quartos. Apesar de a localização destas cabines ser estratégica (basta caminhar alguns passos até o elevador e seguir para qualquer andar da embarcação), evite se hospedar diretamente ao lado destes espaços de circulação, principalmente se você tiver o sono leve.

Barulho de elevadores e movimentação de pessoas pode prejudicar estadia em cabines do entorno

Acima das boates ou lugares de movimentação noturna

Antes de reservar uma cabine em um navio, é bastante recomendável conferir o mapa de cada andar da embarcação para saber o que fica acima, abaixo ou ao lado da acomodação escolhida. Se o seu perfil for o de dormir cedo e se barulhos incomodam o seu sono, uma sugestão: fuja das cabines que ficam logo acima de boates, bares ou lugares de movimentação noturna. Nas embarcações mais modernas, este problema já foi resolvido: geralmente há outros espaços de uso comum sobre estes “mais barulhentos”.

Em alguns navios as festas vão até o amanhecer. Se você preza por uma boa noite de sono, melhor buscar uma cabine mais distante

Acima do cassino

Na verdade, tudo vai depender da acústica do navio. Há aqueles em que não se ouve nada, não importa qual seja a localização da sua cabine. Mas se for a sua primeira vez na embarcação escolhida, melhor não arriscar: outra localização que pode trazer dor de cabeça aos que se incomodam com barulho e dormem cedo é a área acima do cassino, setor do navio que costuma funcionar madrugada adentro.

E há ainda outro fator: muitas empresas de cruzeiro ainda permitem que se fume nos cassinos. É claro que a fumaça costuma a ser combatida com modernos sistemas de ventilação, a fim de evitar que o cheiro se espalhe para áreas externas ao cassino. Mas esse bloqueio nem sempre funciona – e pode vir a ser um problema, sobretudo em navios mais antigos e com cabines próximas.

Abaixo das piscinas

Ficar em cabines logo abaixo ao deck das piscinas, geralmente nos últimos andares da embarcação, tem seus benefícios. O maior deles é estar pertinho de uma das áreas mais procuradas do navio, onde se encontra lazer, sol, música e bares. No entanto, pode ser que você se incomode como barulho. Isso porque em algumas embarcações há festas noturnas no entorno das piscinas e também existe a possibilidade de você ser acordado com cadeiras de banho de sol sendo arrastadas bem cedinho da manhã, quando a tripulação organiza a área das piscinas para o início de mais um dia a bordo.

Cadeiras sendo arrastadas podem incomodar hóspedes em cabines abaixo do deck das piscinas

Próximo à âncora

Talvez não seja fácil localizar a âncora do navio apenas olhando para a planta dos decks da embarcação… mas geralmente ela fica próxima aos andares inferiores e à frente, na proa do navio. Além de ela obstruir a vista da cabine, pode ser que você seja acordado toda vez que ela for lançada ao mar, quase sempre bem cedinho da manhã, quando o navio atraca em um novo destino. O “estacionamento” da embarcação pode demorar um tempo e atrapalhar o seu sono, principalmente se você estiver fazendo uma viagem de cruzeiro mais longa, com vários destinos de parada.

Cabines com vista obstruída

Quando se pensa em cabines externas, com varanda ou janela, o que se imagina é uma bela vista para o mar. No entanto, há dezenas de acomodações em que até se tem uma certa vista para fora, mas ela é parcial ou quase totalmente obstruída por um bote salva-vidas ou alguma outra estrutura do navio. Ninguém quer uma surpresa desagradável como essa, não é?

Para evitar este tipo de decepção, as empresas de cruzeiro costumam detalhar as plantas dos navios sinalizando cabines com vista obstruída, que geralmente têm preços inferiores por conta disso. Então preste atenção ao mapa na hora de escolher a sua acomodação.

Cabines com varanda na parte inferior do navio podem ter a vista obstruída pelos botes

Não adianta muito ter varanda

quando a vista para fora

é assim…

 

Cabines conjugadas

Para famílias grandes, pode valer a pena reservar cabines conjugáveis. Elas ficam lado a lado e são separadas por uma porta que, aberta, une os dois ambientes. Quando não reservadas conjuntamente, no entanto, estas cabines ficam disponíveis para qualquer cruzeirista. E pode ser um problema se, do outro lado da porta, o vizinho for barulhento, sobretudo em navios que não tem isolamento acústico adequado.

Como escolher a melhor cabine para você?

O primeiro passo é avaliar quais dos fatores podem causar incômodo para você – e então já descartar as cabines onde seja maior a chance de sofrer com barulhos, balanço do mar ou fumaça. Pronto, agora restam centenas de outras opções viáveis… dependendo do que você busca e do quanto está disposto a pagar.

Tem gente que prefere cabines nos andares superiores em função das vistas. Há viajantes que optam por estar mais próximo a lugares do navio ou atrações que visitarão com frequência e os que reservam cabines nos andares inferiores em função da maior estabilidade. E tem outros que não se importam com a localização dos cômodos, o que querem é bom preço. Para isso, uma forma mais econômica é reservar “cabines garantidas”, em que você escolhe a categoria e fica sabendo qual é a cabine e sua exata localização somente próximo ao embarque.

Confira abaixo algumas informações sobre cada parte da embarcação que podem te ajudar a escolher qual a melhor cabine em um navio de cruzeiro para o seu perfil:

Andares inferiores: cabines mais estáveis, boas para quem fica enjoado com facilidade. No entanto, podem ter a vista obstruída e, por ficarem mais próximas às turbinas e âncoras, tendem a ser mais barulhentas.

Andares superiores: cabines no alto do navio costumam ser mais caras, menos estáveis (no entanto, em navios modernos isso é praticamente imperceptível), mas com vistas mais bonitas e mais próximas às atrações do navio.

Região central: mais estável do que as pontas e fica mais perto dos elevadores – o que é bom, porque dá agilidade aos deslocamentos, mas ruim em função do grande número de pessoas circulando e eventuais barulhos.

Proa: as cabines da frente do navio são as mais afetadas pelas ondas, principalmente em embarcações menores e mares mais agitados.

Popa: as cabines da parte posterior do navio são parecidas com as da área central em termos de estabilidade e estão mais distantes do elevador, mas podem ter eventuais ruídos de turbinas nos andares mais baixos.


Já viajou de cruzeiro e teve alguma experiência boa ou ruim com a cabine escolhida? Tem alguma dica para ajudar a escolher a acomodação ideal em um navio? Participe nos comentários!

Comente aqui
O seu endereço de e-mail não será exibido no comentário
Campos obrigatórios estão indicados com ( * )
Ainda restam caracteres.
Seu comentário está aguardando aprovação.
Obrigado pelo seu comentário!
contato@passaporteviagens.com.br

Tv. Antonieta Rissi Souza Lima, 69 - loja 25
Centro, Ubá - MG, 36500-100

Av. Itamar Franco, 1934 - São Mateus
Juiz de Fora - MG, 36016-321

Social
Nossas Ofertas
Cadastre-se e receba as últimas novidades e promoções